27 de ago de 2010

Antônia de Florença





Bem-Aventurada Antônia de Florença (1401-1472)

Descendente de nobre família da cidade de Florença, nasceu em 1401. Conforme o desejo de seus pais, casou-se muito jovem ainda. Morto o esposo em 1418, muitos a aconselharam a casar-se novamente, o que jamais o faria pois seu único desejo era renunciar ao mundo e cuidar de seus interesses espirituais. Para isso entrou num Mosteiro da Ordem Terceira Franciscana Regular então fundado pela Bem-aventurada Angelina de Florença. Em pouco tempo as Irmãs e superiores quiseram fazê-la superiora em Florença, o que custou-lhe muito aceitar, pois gostaria apenas de trabalhar como súdita, sobre o olhar da Bem-aventurada Angelina, sua superiora. Aproveitou-se contudo para gozar do bom exemplo e conselhos da fundadora. Dentro de alguns anos, foi designada para fundar um convento em Áquila, no Abruzzo. Ali, difundiu-se sua fama de alegria e santidade por toda a região. Observava à risca a Regra da Ordem Terceira Regular. Porém, não estava plenamente satisfeita pois desejava uma pobreza mais estrita como prescrevia a Regra de Santa Clara. Ao chegar o visitador canônico, São João Capistrano, confiou-lhe seu ideal, recebendo imediatamente pleno apoio do santo homem. O Papa concedeu-lhe permissão para fundar um novo Mosteiro de Santa Clara em Áquila,  onde Antônia iniciou sua nova vida com mais doze companheiras em 1447. Eleita abadessa, quis sempre ocupar o último lugar entre as irmãs. Escolheu para si, os trabalhos mais penosos e as roupas mais humildes. Em tudo brilhou sua humildade. Deu heróica prova de paciência em aceitar seu cargo e sua comunidade bem como sua doença. Rigorosa consigo mesma, era uma mãe carinhosa para suas irmãs. Seu amor a Jesus e às pessoas a tornava atraente a todos. Quando Antônia professou a Regra de Santa Clara recebeu junto com o texto da Regra, uma explicação escrita em Roma pelo reformador da Observância, São João de Capistrano. Essa explicação foi bastante divulgada entre as Clarissas, embora sua interpretação rigorosa tenha assustado algumas irmãs. Antônia tanto propagou pela palavra e pelo exemplo a Ordem de Santa Clara, que sob a inspiração dos Frades Menores Observantes, fez reflorescer no século XV a mesma Ordem em toda a Itália. A comunidade de Áquila, sob a sua orientação, tornou-se um exemplo de insigne renovação e pujança juvenil. Em toda a sua vida, Antônia brilhou pela virtude da humildade. Morreu a 28 de fevereiro de 1472. O Papa Pio IX confirmou-lhe o culto imemorial em meados do século XIX. Sua festa celebra-se a 28 de fevereiro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário